­

“Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, [...]”. (Eclesiastes 12.1a)

Salomão, o homem mais sábio de todas as épocas, após experimentar os prazeres da vida neste mundo, nos alerta para o fato e para a necessidade de conhecermos e servirmos o Criador durante a melhor fase da vida: a mocidade.

No capítulo 12 do seu livro chamado Eclesiastes, Salomão aconselha os jovens a lembrar do Criador já nessa fase da vida, pois, na velhice, mesmo que queiramos, podemos ser impedidos de servir o Criador Eterno.

Dos versos dois a seis, o autor usa uma série de metáforas que mostram os sintomas e sinais típicos da velhice.

No verso dois fica evidente o enfraquecimento da visão: “antes que se escureçam o sol, [...]”. Os versículos de três a seis listam as enfermidades que vão acometendo a pessoa à medida que ela envelhece, prejudicando-a no ato de servir a Deus. Frente a isso, o autor já antecipou dizendo que o momento exato para servir ao SENHOR é durante a mocidade (verso 1), pois nessa fase da vida estamos no auge do nosso vigor. Depois disso os anos chegam, e chegam muito rápido, quando não temos mais força, ânimo, saúde, contentamento etc.

É na juventude que também surgem as paixões, a luxúria, os desejos pelo que é proibido. Sabendo disso o apóstolo Paulo deu o seguinte conselho a Timóteo: “Foge, outrossim, das paixões da mocidade. Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor. (2 Timóteo 2.22)

Entretanto, no alerta de Salomão, está implícito também um conselho a nós pais que já passamos a fase da mocidade e sabemos que a verdadeira vida está em servir e reconhecer a grandeza do SENHOR diariamente, em obediência e temor, observando a Sua Palavra, em pleno louvor e adoração a Ele; por isso, como pais cumpre-nos o imperativo: “Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele.” (Porvérbios 22.6)

Nos versos sete e oito o autor relata sobre o epílogo de todos os mortais, cuja morte física é certa e inevitável – a não ser para aqueles que passarão pelo arrebatamento – e na visão do autor, tudo é vaidade, um vapor que se desvanece e já não mais existe.

E então, na conclusão desse sábio pregador – independente da idade que possuímos hoje – devemos nos pautar: “De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo homem. Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam boas, quer sejam más”. (Eclesiastes 12.13-14)

Pr. Celso Lopes

­